Leituras

Apenas Um Dia | Resenha

Outubro 29, 2017

Apenas Um Dia é um daqueles livros que mexem connosco de uma maneira muito especial. Se Gayle Forman ainda não se tinha tornado uma das minhas autoras favoritas, depressa o conseguiu com os seus últimos livros. Conquistou-me irrevogavelmente e este é um dos romances que mais recomendo.

Neste livro, entramos no mundo de Allyson, uma jovem que acabou o secundário e parte numa viagem pela Europa com os colegas. Nada lhe parece prender muito a atenção, até que conhece um rapaz que a convida para assistir a uma peça de Shakespeare ao ar livre: Noite de Reis. Fica encantada, mas a viagem está quase a chegar ao fim e amanhã terá de voltar para Londres com a sua melhor amiga Melanie. Por acaso do destino, voltam a encontrar-se no comboio e é na estação de Marylebone, Inglaterra, que ela confessa a sua tristeza por não ter visitado Paris, devido ao cancelamento dos voos. Willem, o rapaz misterioso que acabou de conhecer, faz-lhe uma proposta irrecusável: visitar Paris com ele por um dia. Allyson, cansada de ser criticada por ser demasiado bem comportada e nada aventureira, desta vez decide atirar-se de cabeça e agarrar a oportunidade com ambas mãos. Agora é Lulu, alcunha que Willem lhe deu devido à sua parecença com Louise Brooks, e sente-se mais corajosa com esta nova identidade. Mal sabia ela que viria a alterar completamente a sua visão do mundo e perceber que tanta coisa pode acontecer num só dia.

Fico a olhar de boca aberta para o Sena, onde a brisa gera pequenas ondinhas, onde o sol do fim de tarde impõe reflexos luminosos. Em toda a extensão do rio, vê-se uma séries de pontes de arcos, quais pulseiras chiques decorando um braço elegante.

 

Adorei este livro e senti cada momento como se realmente fizesse parte da vida de Allyson. São retratadas pessoas reais e dificuldades com que facilmente nos identificamos. Deu-me vontade de viajar, de sair da minha zona de conforto e partir para o desconhecido, perder-me numa cidade e ver o que aconteceria a partir daí. É um romance muito bem construído e nota-se claramente uma evolução: parece que crescemos com as personagens e com os seus dissabores. No final, o importante é não desistir do amor e da esperança. Às vezes, seguir o coração pode levar-nos por caminhos difíceis, mas a recompensa torna-se mais preciosa ao atingirmos a meta por que tanto ansiávamos. Tal como diz na sinopse do livro, “Apenas um Dia fala-nos de amor, mágoa, viagens, identidade e dos imprevistos do destino, mostrando que, por vezes, para nos encontrarmos a nós próprios, temos de nos perder primeiro… e que a pessoa que procuramos talvez esteja mais perto do que imaginamos.”

Andas a experimentar diferentes identidades, como as personagens de Shakespeare. Além disso, as pessoas que fingimos ser estão dentro de nós. É precisamente por isso que podemos fingir que somos essas pessoas.

 

Como livro que revolve em torno das obras de Shakespeare, também fiquei ainda mais curiosa sobre esta referência mundial. É por isso que ando agora a ler algumas das suas tragédias, incluindo Hamlet, O Rei Lear e a famosa Romeu e Julieta. Valem realmente a pena e ainda podemos aprender muito com elas, até porque a sua crítica de costumes nunca deixa de se aplicar às sociedades atuais.

Para lerem um excerto desta obra no site da Editorial Presença, basta clicarem aqui.

Compra este livro na Wook com 20% de desconto e portes grátis!

 

Título Original: Just One Day

Editora: Editorial Presença

Edição: 2.ª edição, Lisboa, fevereiro, 2016

Coleção: Diversos

 

Eu Estive Aqui é mais uma obra fantástica desta autora e podem ler a resenha clicando no título.

1

Comenta aqui!