Leituras

Apenas Um Ano | Resenha

Dezembro 7, 2017

A sequela de Apenas Um Dia, da minha nova autora favorita do momento, Gayle Forman, superou as minhas expetativas! Quem adorou o primeiro vai ficar mais que satisfeito com este seguimento maravilhoso, o qual conta a mesma história sob uma perspetiva diferente.

O que aconteceu realmente no dia em que se separaram? Porque desapareceu o Willem sem dizer mais nada? Estas são duas das perguntas que vemos logo respondidas quando ele começa a contar o seu lado da história. Com ele, iremos viajar pelos mais diversos países e acompanhá-lo num processo de autodescoberta, enquanto procura pela rapariga que conheceu em Paris e nunca mais conseguiu esquecer. Traz como recordação apenas o relógio dela, já que nem o nome sabe, o que dificultará os seus esforços e muitas vezes o fará desistir, antes de tentar novamente. Porque um dia tão intenso pode mudar a vida de uma pessoa por completo ao fazê-la mudar a visão que tem do mundo, Willem, tal como Allyson, passará por um ano de aprendizagem, com novos desafios e dificuldades mas também com esperança nos acidentes que, por vezes, não acontecem apenas por acaso.

Foi por acidente que a encontrei e foi por acidente que a perdi. É extraordinário como as coisas acabam por se equilibrar.

 

Esta é uma obra realmente extraordinária! Adoro ler a mesma história sob diferentes perspetivas, principalmente num romance tão rico e complexo, com uma construção de personagem eficaz, equilibrada e contraditória, nos seus defeitos e qualidades, como qualquer outra pessoa na vida real. E as viagens… Sinto que estive lá, com o Willem, em todos esses países, em todos esses momentos de solidão e alegria, desesperança e realização. Não apenas os sítios, mas o próprio caminho interior da personagem foi uma verdadeira viagem e tudo se encaixou na perfeição. As relações, tanto amorosas como familiares, são retratadas de forma tocante e realista, de tal forma que nos nos permite embrenhar-nos completamente no seu mundo. Se a primeira obra me deixou apaixonada, então esta conquistou-me por completo!

Não tenho a certeza de que seja possível amar uma coisa e simultaneamente manter essa coisa segura. Amar alguém é um ato inerentemente perigoso. E contudo, é no amor que vive a segurança.

 

Viajar sem sair de casa é dos maiores prazeres que tenho e Apenas Um Ano conseguiu fazê-lo a vários níveis, tanto visualmente como psicologicamente. É um romance que aconselho, não apenas pela beleza da história, mas também por tudo o que podemos aprender com ela. Guardei mais citações deste livro do que muitos dos que já li!

 

 

Título Original: Just One Year

Editora: Editorial Presença

Edição: 1.ª edição, Lisboa, julho, 2016

Coleção: Ficção Juvenil

0

Comenta aqui!