Leituras

Eu Estive Aqui | Resenha

Outubro 10, 2017

Aprecio bastante o trabalho da autora Gayle Forman desde que li dois dos seus livros da coleção Noites Claras da Editorial Presença: Se Eu Ficar e, a respetiva continuação, Espera Por Mim. Também gostei do filme, o mais conhecido do público em geral, e, para quem adorou e ficou a chorar por mais, fique sabendo que sempre pode ler a continuação.

Recentemente, li mais três livros dela e foram esses que me conquistaram por completo e que a tornaram numa das minhas escritoras favoritas. Estou a falar de Eu Estive Aqui e a dupla Apenas Um Dia e Apenas Um Ano. Hoje venho falar do primeiro, mas podem esperar resenhas dos outros dois em breve!

Cody é uma jovem que se vê desamparada e sozinha na sua terra natal após receber uma carta de suicídio da sua melhor amiga. Meg estava a viver o seu sonho na grande cidade, com uma bolsa numa universidade privada, enquanto ela, sem quaisquer apoios financeiros, desistira dos estudos e permanecera na povoação. Deixaram de se ver tantas vezes e as conversas foram diminuindo, até que, de repente, tudo se desmorona sem ela perceber porquê. A amizade que Cody nutria por ela era forte e é isso que a fará passar por um longo período de luto, ao mesmo tempo que tenta descobrir a razão para a melhor amiga ter tomado uma decisão tão drástica. E porque não soubera antes? Estaria a sua amizade numa situação pior do que imaginara? A culpa seria sua? É isto que tenta descobrir quando vai aos dormitórios da sua universidade, a pedido dos pais dela, arrumar os seus pertences e trazê-los de volta para casa. A história complica-se quando ela encontra informações relevantes sobre a sua morte no portátil e que o seu ex-namorado Ben pode estar envolvido no assunto.

Eu Estive Aqui, é uma obra que aborda as complexas temáticas da vida, da morte, do luto, da depressão e do amor de uma forma simultaneamente tão intrincada e fluída que parece ser uma fatia cortada da realidade. É impossível não sentir a dor de Cody como se da nossa se tratasse e permanecer calmo face as sucessivas descobertas do mistério que envolve a morte de Meg. Ultrapassar a morte de um ente querido é um processo demorado que envolve aceitação, seja da verdade seja da ausência da mesma. É algo que, como se costuma dizer, só quem sentiu na pele consegue perceber, mas Gayle Forman descreve-o através de personagens tão credíveis que todos conseguirão entender ao pormenor o que é sentir a dor da perda tal como é apresentada.

Deixem as nossas cicatrizes curarem-se. Perdoar. Às vezes, o mais difícil de tudo é perdoarmo-nos a nós mesmos.

 

É uma excelente leitura para refletir e aprender um pouco mais sobre a vida, que inclui a morte e suas consequências. Convido-vos a lerem um excerto do livro, do site da Editorial Presença, aqui.

 

Título Original: I Was Here

Editora: Editorial Presença

Edição: 1.ª edição, Lisboa, novembro, 2016

Coleção: Ficção Juvenil

0

Only registered users can comment.

    1. Obrigada! Eu agora só leio mais no comboio, 20 minutos em cada viagem. Se conseguir criar uma rotina, tirando nem que seja 20 minutos ao dia, garanto-lhe que conseguirá começar a ler mais e até melhorará as suas capacidades de memória! 😉
      Muitos beijinhos e tenha um excelente fim de semana!

Comenta aqui!